Arquitetura

Passarela montanhosa de oito quilômetros de comprimento capturada em nova fotografia por Nelson Garrido

Passarela montanhosa de oito quilômetros de comprimento capturada em nova fotografia por Nelson Garrido
Anonim

Passarela montanhosa de oito quilômetros de comprimento capturada em novas fotografias de Nelson Garrido

O fotógrafo português Nelson Garrido usou uma câmera portátil e montada em drones para capturar os caminhos em ziguezague dos Passadiços do Paiva, uma trilha de oito quilômetros de extensão através da paisagem montanhosa selvagem de Arouca, Portugal (+ apresentação de slides).

A empresa de engenharia Trimetrica, com sede em Lisboa, foi nomeada pelo município local para criar a rota pedestre, que oferece aos visitantes uma caminhada de duas horas e meia ao lado de rios, florestas, picos, praias e cachoeiras.

A maior parte da estrutura - o convés, corrimãos e grande parte da estrutura de apoio - são todos construídos a partir de madeira, ajudando-o a encaixar-se no seu ambiente natural. Os elementos metálicos foram adicionados apenas quando necessário, como fixações nas vigas de madeira ou para suportar uma ponte de corda suspensa sobre as águas do Rio Paiva.

O resultado é uma estrutura aparentemente simples que sobe morros, cruza canais e serpenteia pela floresta.

A trilha foi inaugurada originalmente em 2015, mas teve que ser temporariamente fechada e consertada, após um incêndio na montanha no ano passado.

O fotógrafo de arquitetura Garrido visitou logo após a reabertura em fevereiro de 2016, embora nenhum arquiteto estivesse envolvido no processo.

"Mais do que uma simples caminhada em contato com a natureza, esta é uma experiência única e profundamente caracterizada por uma paisagem dramática e uma infra-estrutura que interfere o mínimo possível com a paisagem", afirmou.

"É uma experiência incomum marcada por escadas sinuosas até o topo da colina, com paisagens deslumbrantes, e uma ponte de madeira muito estreita que atravessa o rio entre falésias e vegetação abundante."

Garrido usou um drone para capturar a vista do alto. Ele alega que essa técnica não é geralmente relevante na fotografia arquitetônica, mas parecia necessária neste caso.

"Depois de estar lá uma vez fotografando da maneira normal, no chão, decidi fotografá-lo com um drone. Acreditei que daria fotos incríveis, e foi o que aconteceu", disse ele a Dezeen.

"A fotografia com drones é muito popular hoje em dia, mas acredito que devemos usá-la apenas quando for justificada, e este projeto é aquele em que a fotografia por drones dá dimensão real", acrescentou.

Localizada nos arredores do Porto, Arouca é uma reserva natural de 328 quilômetros quadrados que a UNESCO reconhece como um geoparque, o que significa que é de importância geológica.

Além de ser uma fonte de cristais de quartzo, a região abriga várias espécies raras e ameaçadas de extinção, incluindo a lontra europeia, o lobo ibérico e o esquilo-vermelho.

Projetos semelhantes foram concluídos em outras reservas naturais em todo o mundo. Uma sinuosa passarela de madeira foi construída recentemente nas copas das árvores de um jardim botânico perto da Cidade do Cabo, enquanto outra via serpenteia ao redor da árvore de um parque na Estônia.

Consulte Mais informação:
  • Arquitetura
  • Portugal